setembro 26, 2010

Teoria dos trânsitos transpessoais - 1a. parte




Os astros estão em constante movimento no espaço e o mapa natal é o gráfico que representa a posição dos planetas no momento exato do nascimento. No decorrer do tempo, os planetas caminhando, segundo seus ciclos específicos, formam ângulos com a posição dos planetas no mapa natal. A este encontro dos planetas em movimento atual com os planetas do mapa natal, dá-se o nome de trânsito. O trânsito é como uma sinastria da posição celeste do momento sobre o mapa natal, é a qualidade do tempo, de um momento da pessoa e do mapa.

Sempre haverá um planeta formando um ângulo com um planeta no mapa natal, chamados de aspectos em trânsito, gerando acontecimentos ou percepções marcantes. Alguns trânsitos duram pouco tempo, como a Lua, que forma aspectos apenas por algumas horas, e podem significar rápidos acontecimentos ou impressões simples, que logo são esquecidos. O Sol, mercúrio, Vênus e Marte, formam aspectos por alguns dias, e podem representar situações e percepções. Júpiter e Saturno prolongam seus aspectos por alguns meses, representando mudanças e percepções temporárias. Porém Urano, Netuno e Plutão, que formam aspectos por alguns anos, podem provocar acontecimentos marcantes ou percepções que perduram para sempre.

Então trataremos dos transitos dos planetas transpessoais, que tem uma atuação durante um período mais longo, trazendo verdadeiras modificações de vida.

Os planetas no céu em trânsito apenas indicam, mas não causam, não provocam. Indicam que algo de sua natureza está se passando, sinalizando uma alteração de percepção, temporária ou definitiva. Dependendo de como se fundamenta o trânsito, interfere na interpretação que se faz do trânsito, pois depende da forma com que cada pessoa encara o trânsito. Algumas pessoas simplesmente não sentem um trânsito, e a primeira teoria é de que privilegia fatos internos, a forma como a pessoa se sente. Ocorrem mudanças internas, intra-psiquica, como por exemplo, Saturno conjunto a Netuno em que a pessoa sente inibição para conversar.

Os planetas são corpos celestes com qualidade físico-magnéticas que provocariam reações energéticas. Dentro dessa segunda teoria, em um trânsito de Saturno, o chumbo do corpo provocaria uma alteração, dando peso ao corpo e alterando a sua fisiologia. Urano sobre mercúrio, aumentaria a taxa de irradiação da corrente elétrica do corpo, deixando a pessoa inquieta e ligada. Essa teoria pode ser comprovada quando se faz exames físicos sobre essas taxas. Existem 2 teorias, em que se observou em uma tese, dos efeitos de Plutão sobre a Sindrome do pânico. Em vários mapas, selecionados através de médicos especialistas, mostrou a presença de Plutão de uma forma marcante nessas pessoas atingidas por uma horrorosa aflição.

Um médico que não entende nada de astrologia, afirmou que a doença surge inesperadamente, tem uma duração de 2 a 3 anos, e desaparece da mesma forma. Geralmente sucede após uma perda traumática, por exemplo, a perda de um emprego, de uma carreira, de um afeto, de uma pessoa, que se dilui no tempo. Embora a pessoa não consiga relacionar a perda com a doença, isto porque os ataques de pânico ocorrem de 6 meses a 1 ano depois, se perguntada sobre uma experiência traumática, ela não associa a desestruturação da perda com o sofrimento atual. A sensação relatada é de pânico, medo de morrer, medo de perder o controle, medo de ficar maluco, sem que nada externo esteja acontecendo.

A Sindrome do pânico é algo que ataca apenas em determinados momentos; a pessoa é medicada e aquilo passa, parecendo que é apenas no físico mais do que no emocional. Segundo uma das teorias que estuda a Sindrome do pânico, é de que haveria uma alteração nos níveis de adrenalina no corpo, sem nenhuma explicação. Plutão rege, entre outras coisas, as funções glandulares, a produção de hormônio e da adrenalina e isso explicaria, dentro dessa teoria, que isso se passa a nível físico e em nível energético.

Na teoria, usada na astromedicina, é de que essa manifestação não ocorre no início do trânsito, mas sim no final do trânsito. Inclusive quando se tem uma doença, nunca é no início do trânsito, mas já no final do trânsito. A impressão é de que nesse ponto já há um acúmulo suficiente de pressão física, bioquímica, energética, que acaba provocando um desequilibrio do corpo. Dentro dessa teoria, tudo ocorre em um corpo magnético, de forma magnética. Inclusive faz parte de uma pesquisa científica, em que Marte numa determinada posição poderia alterar o nível de ferro de uma lâmina. Seria de fato algo no campo fisiológico e se muda a composição de ferro no organismo. Você fica mais fragilizado e anêmico, se houver uma queda ou fica mais ativo e energético, se houver um excesso.

A terceira teoria é de que ocorreria uma alteração de percepção; não é o mundo que se altera mas a forma como se passa a perceber o mundo. O mundo continuaria o mesmo, mas a sua visão, sua percepção, o seu filtro se alteraria e, portanto, mudaria o enfoque. Aí você vê as coisas de uma outra maneira, analisa de outra maneira e tudo ocorre de outra maneira. Por exemplo, cada planeta tem o seu significado simbólico. Então quando um planeta se aproximasse para realizar um trânsito sobre um planeta qualquer, o significado do planeta transitante se tornaria expandido, e todos os outros significados ficariam reduzidos.

Dessa forma a idéia é de que quando ocorre um transito significativo de um planeta, aqueles simbolos do planeta se tornam mais elevados, ficando em evidência mais do que os símbolos de outros planetas, e assim geraria uma percepção, de forma que tudo em sua vida tivesse aquela força de expressão. Por isso, um transito de Netuno e Plutão provocaria uma alteração de percepção, que duraria para sempre.

Num periodo de 2 a 3 anos você fica simbolicamente plasmado dos significados e quando o planeta em trânsito encontra outro planeta, ele solicita ou impele a pessoa a um comportamento adequado. Por exemplo: Você sai de casa atrasado para um compromisso. Justamente nesse dia, todos os sinais estão fechados; há um engarrafamento terrível. Será que mercúrio iria fechar todos os sinais só porque você está atrasado? Logicamente não.

O que ocorre que é você está com seu timing pobre; você está em um ritmo mal coordenado, está usando mal o seu tempo, está desconcentrado, e assim você está atrasado e está achando que os sinais estão fechados só para te atrasar mais ainda. Talvez você tivesse que acordar mais cedo, não demorar tanto se aprontando, perdendo tempo com detalhes insignificantes ou decidindo por um caminho inapropriado. Pegar os sinais fechados, é consequência da sua desorganização do tempo.

Quando estamos com aspectos desarmônicos no mapa quer dizer que não estamos emparelhando bem uma coisa com outra, e temos de nos esforçar para emparelhá-las. Dessa forma, se você sabe que está com uma quadratura de mercúrio, saia de casa mais cedo, cheque os pneus antes de viajar, leve um mapa de viagem, preste atenção na sinalização da estrada, dirija com cuidado, respeite uma velocidade de segurança. São atitudes que farão diferença nessa quadratura.

O que acontece é que a realidade não se altera para seguir os seus desígnios; é você que percebe a realidade de modo diferente. Não é porque Saturno está quadrado a seu M.C. que a empresa que você trabalha vai falir, mas pode acontecer, pois é a empresa que faz parte do seu mundo, e quando você entrou nela, você deu início a uma relação com ela, criando um ciclo dentro do seu mapa.

Isso dá origem a outra teoria: é a de que não há uma separação entre nós e os outros; entre nós e nossa empresa. Haveria um mundo maior de interligações e conexões, mais do que se possa imaginar, como uma rede de captação. Uma vez que você entra na vida de alguém ou entra numa empresa, você passa a fazer parte dessas redes inter-conectadas, onde uma vez acionado um processo, toda rede seria atingida. Assim os outros não seriam apenas os outros, é uma parte do mundo que lhe diz respeito e você estaria atrelado a isso.

Todos nós temos ciclos na vida que determinam nossa entrada na vida dos outros e de outros em nossas vidas, atrelando todos num elenco. O que ocorre é uma correspondência, uma inter-relação permanente em tudo. A interpretação astrológica está exatamente em correlacionar o que acontece com uma pessoa com outras coisas. É dar significado, recodificar os fatos. Um exemplo é quando você percebe que acontecem fatos simultãneos, que aparentemente não teriam relação entre si.

Existe uma teoria que é a sincronicidade, em que tudo acontece num mesmo tempo determinado, parecendo estarem interligadas na mesma corrente de significados. A teoria junguiana explica que se você está pensando uma coisa e aquela coisa acontece, então esse é o agente de correspondência e interligação de uma rede.

A última teoria adotada por alguns astrólogos é a de que os transitos seriam portadores de mensagens dos planetas em ação. Ou seja, seria transmissor de uma idéia ou de uma missão que faria parte da evolução como ser humano. Eu particularmente não concordo muito com essa teoria. Numa determinada passagem da vida, que corresponde ao transito do planeta, você teria a oportunidade de um propósito que poderia torná-lo um ser humano mais digno.

Assim se entra numa discussão kármica representada pelo planeta, e embora seja válida, seria injusto culpar o planeta pela evolução ou não de uma pessoa, já que depende muito mais dela querer ser evoluída ou não. Não é um planeta que vai tornar alguém evoluído, e nem mesmo pode ser considerado um mensageiro. Uma pessoa espiritualizada pode utilizar qualquer sinal ou experiência para um propósito. Outros podem não ter a mesma visão.

Nessa teoria, segundo uma visão transpessoal, por exemplo, Netuno lhe traria uma transcendência ou uma crise de fé. Isso pode até acontecer, mas não se pode estabelecer que um planeta tenha um propósito místico ou metafisico ou que vai produzir um efeito de elevação. Algumas vezes, em um trânsito um pouco pesado, o astrólogo pode até animar seu cliente com uma alguma filosofia, lhe dizendo sobre uma dimensão maior etc., mas garantir que isso vai acontecer, é outra coisa.

No caso de um transito de Plutão não significa que você vai ficar despojado, pois o ser humano está preso à matéria, mas se ficar melhor. Você pode ficar eticamente mais correto pois há grande chance de você perder coisas e pessoas. Não significa que você fica mais evoluído, o que acontece é que você fica mais relaxado, menos infeliz, porque uma pessoa menos apegada é muito mais tranquila e feliz, pois não tem medo de perder.

As conexões são muito mais profundas e existe uma teoria de Danna Kuningham que ela chama de simpatia. Assim quando você está passando por um trânsito você seleciona, você está mais empático com uns do que com outros. Sua percepção está alterada, seu magnetismo se torna alterado, seu nível energético se altera, e você atua magnetizando uns e afastando outros. Além de você selecionar, o seu campo vibratório tem maior ressonância para algumas coisas e pessoas e menor ressonância para outros.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita ao blog; desde já agradeço seus comentários. Ou mande-me um email: lu_ou_lucia@hotmail.com

Related Posts with Thumbnails

Follow by Email

Quero acompanhar este blog

Pesquisar este blog