maio 12, 2010

TRANSITO DE NETUNO - IDEALIZAÇÃO E SENSIBILIDADE



Netuno simboliza o princípio da sensibilidade maior. A casa por onde transita tende a mostrar a área da vida em que se ganha em sensibilidade, telepatia e mediunidade; e de forma negativa, onde pode estar sentindo vazio existencial, desânimo, confusão, preguiça, incertezas, escapismo, apatia, talvez profundamente insatisfeito com o que vem vivendo neste setor.

A forma positiva de vivenciar um transito netuniano é se abrir a uma nova maneira de viver o amor e a espiritualidade, ou às artes de forma mais compassiva, compreensiva, doadora e amorosa, às vezes trabalhando o requinte e os detalhes de sensibilidade. Os trânsitos de Netuno dinamizam a sensibilidade, capacidade de amar , espiritualidade e pode provocar confusão, ilusão, engano e diluição. Pode permanecer até 11 anos numa casa e seus aspectos duram quase 4 anos (orbe 5 graus).

Netuno, o Senhor dos Mares e das Águas, é o que age através das forças mais sutis do inconsciente. A água é um dos símbolos do reino das emoções, do feminino, do útero e do princípio da vida, e toda vida vem da água, diz o Alcorão. Se Urano rompe as barreiras do ego através de suas fortes imagens de liberdade, Netuno as dissolve através de sentimentos de transcendência experimentados através de grandes confusões, mas também através de uma magia que nos atrai por sua beleza.

No mapa natal, a presença de Netuno costuma marcar um ponto onde temos a tendência a confundir realidade e ilusão, onde experimentamos certo desejo de escapar, de nos dissolver e onde costumamos ter uma postura passiva. Mas também é por esse ponto do mapa que exercitamos uma maior sensibilidade e receptividade, por onde a música, as imagens, as histórias e todas as formas de arte podem entrar e ganhar uma compreensão profunda, transmutadora.

A descoberta de Netuno coincide com o florescimento do Romantismo na arte, na literatura e na música, onde o amor e a paixão têm uma natureza trágica de sacrifício, onde os amantes só se encontram na morte e compositores como Brahms, Beethoven e Schubert, por exemplo, emocionavam através de tons menores. Também é nesse período que Freud se volta para as imagens dos sonhos e muitos cientistas estão tentando explicar fenômenos extra-sensoriais de maneira objetiva.

Tanto Teosofistas quanto Transcendentalistas trazem a filosofia oriental para o ocidente e, estudos que pareciam esquecidos como a Cabala ou a astrologia, ressurgem e são reintroduzidas no meio culto da época. Isso aponta para a idéia de que Netuno traz à consciência um impulso para compreender o incompreensivel, e até mais que isso, uma necessidade de experimentar algo vago e de difícil apreensão pela razão, mas que contem a promessa de se encontrar face a face com Deus. Não é coincidência que Freud tenha chamado esse impulso de sentimento oceânico.

Uma das maneiras que se tem de entender Netuno é através da moda, pois nessa área encontramos aquilo que coletivamente é visto como belo, atrativo ou elegante. Até pessoas que se vêem de maneira altamente individualizada seguem o estilo vigente na época e, se perguntadas do porque disso, não saberão responder ou darão uma justificativa bem vaga. Podemos nos perceber passando de roupas bem estruturadas para transparências esvoaçantes, de filmes de ficção científica para dramas políticos e existem estudos astrológicos bons a respeito de Netuno e esses anseios, desejos e sonhos traduzidos em imagens que consumimos avidamente durante um período.

O cabalista Warren Kenton relaciona Netuno ao ponto mais alto da Árvore da Vida, onde o Homem toca o inefável, o máximo que podemos chegar na compreensão do mistério da divindade. Ali, o senso solitário de indivíduos separados se dissolve em uma experiência de unidade e êxtase. Quem entendia bem dessas intimidades com Deus era Santa Teresa D’Avila, que clamava “muero porque no muero” com Netuno na cúspide de seu ascendente, pois falar de Netuno também é falar de morte, do imenso mistério que é a morte.

As crises, raivas e medos ligados às mortes simbólicas que nós temos que passar durante a vida, e mesmo os temores quanto à própria morte e as dores da perda de alguém, parecem estar mais conectados a Plutão, porém esse término do corpo físico e o imenso mistério sobre o que acontece com a consciência após esse fim, independente das crenças individuais, fazem parte dos reinos netunianos.

Os trânsitos de Netuno tornam as coisas nebulosas e são difíceis de serem percebidos de uma maneira direta, já que age sutilmente. Em geral, Netuno vai tocando nosso mapa e tirando nossa sintonia consciente; ficamos mais desligados e esquecidos e, muitas vezes, não conseguimos ver ou entender com clareza aquilo que está sendo trabalhado pelo Senhor dos Mares. Assim como Urano e Plutão, Netuno impõe o abandono de velhos hábitos e modelos que impedem o desenvolvimento e novas formas de lidar com problemas antigos podem vir à tona, transformando a maneira como encaramos o mundo. Como esse planeta nos deixa com um ponto cego, é preciso desenvolver a intuição para caminhar.

Netuno tanto inspira quanto ilude e é preciso entender onde estamos vivendo uma coisa ou outra. Toda vez que tentamos agarrar as inspirações netunianas, ela nos escapa como água entre os dedos e nossas fantasias e ilusões se transformam em perda de esperança, falta de energia, insônia e falta de objetivo. É aí que geralmente vamos apelar para algum aditivo para escapar da desilusão, dando a Netuno a fama do abuso nas bebidas e drogas.

Netuno é considerado uma oitava acima de Vênus, e enquanto vênus oferece o prazer e a beleza de sermos quem somos enquanto indivíduos separados, Netuno mostra a beleza e o prazer que existe no amor transpessoal. É essa dimensão netuniana que nos capacita a entender a dor e o sofrimento das minorias, injustiçados e dos outros. Os problemas com Netuno geralmente estão relacionados ao nosso medo de perder as fronteiras individuais na invasão desses sentimentos transpessoais.

Netuno é um guia para outras dimensões chamadas de espirituais. Netuno desperta a compaixão e não precisamos largar tudo e ir cuidar dos outros para viver as experiências netunianas, mas os trânsitos de Netuno podem nos ensinar a abrir espaço para essa dimensão, possibilitando um desenvolvimento pleno e belo de nossas capacidades humanas.

Netuno tem um ciclo em volta do zodíaco de 164 anos, ficando cerca de 14 anos em cada signo, portanto são processos lentos de dissolução que duram aproximadamente 5 anos. É um tempo suficiente para cair nas armadilhas de nossas ilusões e depois sacrificá-las em nome de um desenvolvimento maior. Netuno simboliza o sonho, sono, pesadelo, ilusão, desilusão, a conexão espiritual, tudo o que é confuso, com névoa, que não permite ver com clareza. Os trânsitos em geral tem formas diferentes de atuar segundo a idade e cultura em que se está vivendo.

Se entendemos que a beleza e magia netuniana não é algo para diminuir nosso sofrimento humano, mas algo para inspirar uma existência em sintonia com algo misterioso, que vai além da nossa racionalidade, e desenvolvemos flexibilidade para incorporar isso em nossas vidas, podemos descobrir um caminho em que temos menos controle mas que é bem mais fácil. Então, antes de abandonar tudo por conta de um trânsito de Netuno, tente dançar, ouvir música, brincar com tintas ou conversar com Deus, para entender o presente que esse reino pode lhe dar e não queira exigir que lhe dê apenas aquilo que deseja. Os deuses sabem melhor do que você precisa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita ao blog; desde já agradeço seus comentários. Ou mande-me um email: lu_ou_lucia@hotmail.com

Related Posts with Thumbnails

Follow by Email

Quero acompanhar este blog

Astrólogos não são adivinhos, nem videntes e nem tem poderes sobrenaturais. São simplesmente pesquisadores que traçam cenários de acontecimentos possíveis a partir da tradução do significado simbólico das configurações celestes envolvidas. As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

Pesquisar este blog

Carregando...